Crie um site como este com o WordPress.com
Comece agora

O MAL NÃO FAZ SENTIDO

Não busque sentido no MAL.

O Mal só é Mal justamente porque não faz sentido.

Muitos ficam atordoados diante de certos acontecimentos por buscarem algum sentido naquilo. Um ato de maldade não faz sentido, é simples assim.

As pessoas têm o péssimo hábito de projetarem-se nos outros e desacreditam atos de extrema maldade por não encontrarem sentido nos mesmos. Entram em estado de negação principalmente quando se trata de atos de maldade praticados em escala, mesmo sabendo que isso acontece o tempo todo, em todas as épocas.

– Por que alguém faria isso?

– O que ele ganha com isso?

– Eu jamais faria isso!

– Não vejo nenhuma lógica nisso!

– Ninguém faria isso, não faz sentido!

– Isso é mentira, é teoria da conspiração.

O Mal, em sua complexidade, pode ser classificado em escalas. Um dos motivos pelo qual as pessoas buscam sentido no mal, é por associá-lo apenas à práticas que visam alguma vantagem material, o que considero o Mal Menor. É com este tipo de mal que as pessoas estão acostumadas a conviver no dia-a-dia. É o tipo que aparece nas estórias, novelas e filmes – uma amiga que tenta roubar o marido da outra, um homem que tem um caso com a mulher do amigo, um estelionatário, alguém que finge amizade ou amor para roubar o patrimônio de outra pessoa – todas essas categorias de mal representam o mal menor e cotidiano, que é apresentado constantemente pela cultura de massa, principalmente expondo a vida privada de celebridades, distraindo e incapacitando a população para reconhecer outros tipos de Mal.

O MAL que abordarei no texto, que é ridicularizado e tachado como teoria da conspiração, desacreditado e ignorado pela maioria da humanidade, é o que considero e classifico como o Mal Maior.

Este Mal só consegue agir disfarçando-se de Bem. É por trás de boas intenções, palavras e, às vezes atos, que se escondem as piores criaturas de nossa espécie.

Quando “redução populacional” vem camuflada de “filantropia” o resultado só pode ser trágico para a população comum, da qual ELES não fazem parte. É assim que o mal age, de forma aberta e escancarada, misturando-se com o bem, confundindo-se com o bem. Quanto mais escancarado, mais as “vítimas” negam, pois de acordo com a mentalidade padrão, o mal é sempre algo escondido, que estará sempre caracterizado de mal. É o cara barbudo que a TV mostra com a etiqueta de “terrorista”, esse é o único mal que as pessoas conhecem, aquele que estava muito bem escondido e que a TV identificou dentro do padrão reconhecível.

Um dos citados na reportagem anterior:

Os Estados e suas estruturas administrativas, instituições – inclusive as que denominam-se “de caridade” ou “filantropia” – agências governamentais, organismos internacionais, empresas – incluindo as de telecomunicações e entretenimento – bancos, todas essas estruturas são compostas de pessoas. Todo organismo que pertence a uma estrutura de poder atrai pessoas más.

Os maiores genocídios e experimentos que já aconteceram foram planejados por pessoas inseridas em grandes estruturas de poder, e praticados por aqueles que os obedeceram. Geralmente os obedientes acreditam que estão fazendo o Bem, assim são usados para atuar em nome daqueles que planejaram – demonstrando que o Mal é contagioso.

Se o govenador ordenou-me ir até à praia, armado com um fuzil, para expulsar famílias com crianças da areia, é porque isso é bom para a sociedade. O governador foi eleito “democraticamente”, ele comanda o Estado e sabe o que é melhor para nós. Ele é uma autoridade, estou apenas cumprindo ordens, ele é o único responsável.

Quem confinou povos inteiros em suas casas sem colocar tanques nas ruas?

Os governos, compostos de políticos, que receberam suporte da mídia, policiais, cientistas e médicos. Todos em conjunto enganaram as massas e as fizeram pensar que a prisão domiciliar era para o Bem comum. Convenceram as massas a não irem ao hospital, mesmo que precisassem dar continuidade em seu tratamento para o câncer, que poderiam ser atendidas por telefone, que seus parentes ficariam sozinhos em um leito – até as crianças – e a visita só seria possível via celular.

Convenceram as pessoas a ameaçarem-se umas às outras, a se odiarem, vigiarem, denunciarem, tudo para o BEM comum. Convenceram as pessoas a terem medo de respirar, algo mais fundamental à sobrevivência humana do que água ou comida. Tudo foi feito em escala global, de forma padronizada e cronometrada. Foi um grande MAL apresentado como BEM. Todos que acreditaram e participaram foram contagiados por esse Mal. Assim o Mal age, criando uma estrutura de poder contagiosa e opressora, usando as vítimas contra si próprias e contra os dissidentes.

Por que as pessoas negam-se a aceitar o fato de que grupos de pessoas más conspiram para escravizar o mundo?

Porque foram convencidas de que são livres, que a miséria é só na África, que as guerras são só no Oriente Médio, o comunismo é só em Cuba, a ditadura é só na Coréia do Norte… Esse é um dos motivos do porquê ELES mantêm alguns lugares mais pobres e conflituosos do que outros, para gerar um pensamento binário de Bem X Mal.

A categorização do Mal prejudica o discernimento.

– Se o comunismo é mau e a China é comunista, então a China é má. Se o meu governo diz que não é comunista e odeia o comunismo, então meu governo é democrático e bom.

– Se no meu país posso votar, então meu país é democrático. Não importa que sempre me ofereçam apenas duas opções, que irão sempre representar os mesmos partidos que fingem inimizade e oposição entre si, que são financiados pelo mesmo grupo e cumprem a mesma agenda global.

A escolha é uma ilusão, pois as opções que nos oferecem para “escolher” foram escolhidas previamente por ELES, ambas irão fazer exatamente a mesma coisa que ELES planejaram.

Se todos os países do mundo enfrentam um inimigo comum, o mesmo plano pode ser implementado da mesma forma em todos eles, sem a desconfiança das massas.

“Deduziram daí que era importante para o crescimento americano que a população cultivasse certo medo de um inimigo externo. Mais adiante no relatório eles alegam que como é muito difícil ou quase impossível alimentar esta inimizade por muito tempo sem sofrer as consequências de uma guerra real, é preciso criar inimigos hipotéticos, de preferência idealizados ou até mesmo imaginários. Os especialistas sugeriram então dois temas que poderiam gerar inimigos externos aglutinadores: ecologia e seres extraterrestres. Perceberam que o medo iminente de uma invasão alienígena, ou de uma retaliação da natureza funciona muito bem para direcionar a decisão das pessoas sem que elas percebam a manipulação.”

https://culturadefato.com.br/relatorio-iron-mountain/

Uma categorização elimina a possiblidade de uma análise séria e ampla, pois gera configurações limitadas, restringindo o debate dentro do círculo fechado do pensamento binário, Direita X Esquerda, por exemplo.

Ninguém questiona o porquê de sempre oferecerem como candidatos Lula ou Bolsonaro, Lula ou FHC, Dilma ou Aécio, ou por que iniciam com uma oferta maior de candidatos coadjuvantes, para levar os dois em destaque ao segundo turno. A memória curta também impede a percepção de que independente do indivíduo, a agenda é sempre a mesma. Quando o indivíduo está queimado, surge o substituto que será apresentado como Bom, e com a fachada de Bom terá caminho livre para executar o que o anterior, marcado como Mau, não conseguiu fazer, pois sendo “mau” era fiscalizado e vigiado por todos, coisa que o “bom” não será.

Se não deu em 2014 faremos em 2021.

Outra tática que promove a ilusão de liberdade é o “abolicionismo”. Este acontecimento fez com que as pessoas pensassem que a escravidão era apenas o que faziam com os negros nas fazendas, e se aquilo acabou, todos agora são livres.

A visão limitada, alienação e falta de memória fazem as pessoas pensarem que o mundo em que vivem, na condição em que vivem, é normal e bom, e que o mal está sempre distante, nos lugares caracterizados como maus e pobres pela mídia.

Crentes de que são livres e que seus países são bons e democráticos, pensam que algo tão terrível, como um complô de psicopatas tramando para escravizar e matar massas de pessoas, está distante da realidade e não passa de um boato de gente louca.

“Um estado totalitário verdadeiramente eficiente seria aquele em que o executivo todo-poderoso de chefes políticos e seu exército de administradores controlassem uma população de escravos que não tivessem de ser coagidos porque amariam  sua servidão.”

Admirável Mundo Novo – Aldous Huxley

As pessoas já são tratadas pelos governos de forma totalmente desprezível e nem se dão conta, elas já são usadas como cobaias em experimentos há muito tempo e nunca perceberam, são empobrecidas e adoecidas de propósito sempre com maior intensidade, mas ao mesmo tempo acreditam que a cada dia que passa, estão cada vez mais perto de um futuro maravilhoso, de abundância, paz, igualdade e fraternidade, pois é assim que a cultura de massa as ensina e a cultura de massa é planejada e financiada por ELES.

Esta imagem possuí um atributo alt vazio; O nome do arquivo é image-14.png
Esta imagem possuí um atributo alt vazio; O nome do arquivo é image-15.png

“Os mais importantes Projetos Manhattan do futuro serão vastas pesquisas, sob patrocínio governamental, em torno do que os políticos e os cientistas participantes chamarão “o problema da felicidade” — em outras palavras, o problema de fazer com que as pessoas amem sua servidão.”

Admirável Mundo Novo – Aldous Huxley

Esta imagem possuí um atributo alt vazio; O nome do arquivo é image-19.png

Condicionadas a verem líderes sociais como pessoas do “bem”, com “boas” intenções, dedicados a guiar a sociedade para um futuro promissor e maravilhoso, são ao mesmo tempo incentivadas a buscar inimigos em seus semelhantes, nos vizinhos, colegas de trabalho e na própria família. A escala menor do mal distrai o público, que ignora a existência do mal maior, planejado em grupo com recursos financeiros e de manipulação inalcançáveis às pessoas comuns.

Se analisarmos a história veremos que a grande fome na Irlanda e Índia foram orquestradas e executadas por aqueles que estavam em postos de poder na Inglaterra. O mesmo passou na Ucrânia, quando soldados confiscaram toda a comida dos camponeses, gerando um genocídio por escassez proposital de alimentos, tudo em prol do “bem” maior da sociedade e do partido.  

Quanto mais visível, mais escondido o Mal está.  A melhor forma de esconder-se é mostrando-se e infiltrando-se em todos os segmentos da sociedade, adquirindo fama e admiração pública, despertando a inveja e o interesse das pessoas. Quanto mais as massas invejam o estilo de vida dos milionários, políticos e reis, mais elas associam essas pessoas ao Bem. É por isso que a família real inglesa investe pesado em publicidade, filmes, programas sobre a intimidade dos casais, escândalos, casamentos cinematográficos. Eles transformaram-se em celebridades, são invejados, despertam o interesse das pessoas por cada ato banal de suas vidas, aparecem nas capas de revistas e telejornais. Cada escândalo que um membro da família participa gera lucros com a venda de revistas e entrevistas televisivas. Nenhum filme ou notícia é divulgado sem a aprovação prévia da família. A publicidade afasta qualquer suspeita do público, que sempre os verá como pessoas normais.

A participação de membros da família real inglesa em práticas de pedofilia, pirataria, escravidão, tráfico de pessoas, drogas e crianças, é recorrente ao longo dos séculos. O Império britânico enriqueceu às custas do sangue e sofrimento de muitos inocentes. Mas se alguém disser isso a uma pessoa comum, será tachado de louco ou teórico da conspiração.

A população nunca desconfiará de um grupo de multimilionários que reuniu-se em um evento público para planejar um cenário de pandemia global, justamente porque tudo ocorreu abertamente na frente de todos, foi divulgado nas mídias oficiais como algo muito bom que poderia trazer muitos benefícios e a salvação da humanidade.

Os que negam totalmente a existência de grupos conspiratórios o fazem através da ridicularização. Os que são capazes de reconhecer alguma possibilidade dessa conspiração existir, entram em outro tipo de negação, a motivada pelo medo e impotência. O choque é tanto que a pessoa prefere fingir que não viu, que não aconteceu, porque se sente incapaz de lidar e solucionar a situação. O único ato de defesa é esperar por uma salvação milagrosa, um messias, um ser de outro planeta ou um meteoro.

Quem jogou bombas atômicas em Hiroshima e Nagasaki?

Foi um terrorista islâmico? Um nazista? Um negacionista do covid?

Foi o governo dos Estados Unidos, precisamente, pessoas que faziam parte do governo, das agências desse governo, os cientistas que foram pagos por esse governo para criar a bomba, os pilotos que foram pagos para jogar a bomba. Uma cadeia de seres humanos conectados em um objetivo comum, desde o planejamento e fabricação até o lançamento, todos escolheram participar e foram recompensados por isso.

https://es.wikipedia.org/wiki/Bombardeos_at%C3%B3micos_de_Hiroshima_y_Nagasaki

O MAL continuará a não ter sentido, ainda que seja confundido com o BEM.

Esse assunto será complementado em outros textos.

Algumas fontes:

https://www.cfr.org/expert/shannon-k-oneil

https://wordpress.com/post/amellocristina.wordpress.com/412

https://en.wikipedia.org/wiki/Unethical_human_experimentation_in_the_United_States

Familias de poder https://odysee.com/@JorgeGuerra:4/Canal-5:a


Publicado por amellocristina

Arquiteta e Urbanista

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: